Clubhouse: saiba como monetizar através de sua comunidade

Escrito por Lastlink

Escrito por Lastlink

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Introdução 

Se você possui um dispositivo conectado a internet, com certeza, já ouviu falar do fenômeno das últimas semanas: o ClubHouse. A nova rede social tem chamado bastante atenção das pessoas e principalmente de celebridades do mundo todo. 

A rede social foi lançada no início de 2020, mas explodiu no Brasil agora em 2021.  Em dezembro de 2020, o aplicativo foi avaliado em quase US$100 milhões. Já em 21 de janeiro de 2021, a avaliação atingiu US$1 bilhão. Impressionante, não é mesmo? Mas qual é o motivo de tanto sucesso? E como usar esse novo canal para criar uma nova comunidade? E como monetizar a sua comunidade no ClubHouse? É sobre isso que vamos falar nesse artigo. Acompanhe! 

O que é Clubhouse?

O Clubhouse é basicamente uma rede social de chats por áudio. Ela foi criada e lançada por Paul Davidson e Rohan Seth, engenheiro industrial e cientista da computação, respectivamente. 

A plataforma permite que o usuário abra diferentes salas de variados temas com pessoas conversando sobre esses assuntos. Ele também consegue explorar diversas salas e interagir com várias pessoas diferentes através de áudios. Ao entrar em uma sala, você entra como membro da plateia e se desejar falar e contribuir com a discussão você só precisa “levantar as mãos” e os oradores podem te convidar a falar. 

Além de entrar em salas já existentes, também é possível criar os seus próprios ambientes de conversa. A proposta do aplicativo é ser um lugar para conversar com amigos e encontrar novas pessoas em todo o mundo para contar histórias, discutir temas relevantes, criar debates, aprender e conversar sobre inúmeros temas diferentes. 

Como o Clubhouse se tornou tão popular?

O ClubHouse foi lançado para iOS em abril de 2020 e ganhou muita popularidade nos primeiros meses da pandemia de COVID-19. Esse crescimento absurdamente rápido se deve também ao investimento de $12 milhões que o ClubHouse recebeu em maio de 2020 ($10 milhões em capital primário e uma compra de $2 milhões de ações existentes) da empresa de risco Andreessen Horowitz.

Para ter uma noção da popularidade do ClubHouse, em dezembro de 2020 o aplicativo já possuía 600.000 usuários registrados. Esse crescimento também teve um empurrãozinho de ninguém menos que Elon Musk, que citou o aplicativo em uma entrevista ao Good Time. Além do Elon Musk, outras personalidades como Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, também participaram de bate-papos na plataforma. No Brasil, influenciadores digitais e youtubers como Pyong Lee e apresentadores como Celso Portiolli e Luciano Huck já apareceram na rede social.

Como funciona?

Como já falamos anteriormente, o Clubhouse é uma rede social só de áudios, e está disponível (por enquanto)  apenas para iPhone (iOS).  Para criar uma conta no Clubhouse é necessário receber um convite de um contato que já usa a rede social. Isso é um dos fatores que torna o aplicativo ainda mais exclusivo, uma vez que o número de convites é bem limitado.

Salas e chats por áudio

A nova rede social funciona por meio de clubes e salas em grupo em que os participantes só podem se comunicar por áudio. O aplicativo não permite o envio de fotos ou mensagens de texto nas conversas. 

Além disso, os chats ocorrem sempre ao vivo, e as salas possuem os moderadores, palestrantes e ouvintes. Os moderadores são os que criam as salas e possuem o poder de convidar, silenciar ou remover os palestrantes. Os palestrantes, são os usuários que podem falar durante a conferência. Os palestrantes podem ser famosos, influenciadores, especialistas em determinado assunto ou até mesmo pessoas comuns que queiram compartilhar sua opinião e experiência. E os ouvintes, como o próprio nome já diz, são os ouvintes da conversa.

Quando um ouvinte entra em uma sala, ele entra com o microfone no mudo e precisa levantar a mão se quiser falar.  Então cabe ao moderador da sala, aprovar ou não a participação do ouvinte. Diferente das lives do Instagram, os ouvintes entram na sala sem fazer alarde. Ou seja, não surge nenhum tipo de notificação aos participantes que já estão na sala que uma nova pessoa entrou, apenas o nome é acrescido na lista de ouvintes. 

No aplicativo existem as salas públicas que ficam abertas e disponíveis para qualquer pessoa entrar como ouvinte, e existem as salas privadas. As salas privadas podem ser criadas e exclusivas para os seguidores do moderador ou apenas para convidados. O limite máximo de membros para o bate-papo é de até 5 mil participantes e os clubes não ficam mais visíveis na plataforma assim que os chats ao vivo terminam. 

Em geral, o ClubHouse é uma mistura de podcast, chamadas ao vivo e um bate-papo UOL. Ele permite que você crie seus próprios grupos e também sugere salas de acordo com os seus interesses. 

Como conseguir um convite?

Se depois de tudo que falamos aqui, você deseja fazer parte dessa nova rede social é importante que saiba que por enquanto só é possível entrar no Clubhouse após receber um convite de alguém que já é membro. Isso porque, o aplicativo ainda não está aberto ao público. Somente pessoas que possuem iPhone e recebem convites de amigos podem entrar. Também é possível entrar em uma lista de espera para ser convidado.

Cada novo integrante que começa a usar o Clubhouse ganha mais dois convites para enviar para os amigos. Para convidar um contato para a rede social, você deve abrir o aplicativo e tocar sobre o ícone de envelope no menu superior da tela.

Em seguida, você pode verificar quantos convites ainda estão disponíveis, seguido de uma lista com seus contatos. Para convidar um deles, basta tocar sobre o ícone ao lado de seus nomes que um link para cadastro será enviado para o contato via SMS.

Como criar uma comunidade no clubhouse?

Como você já deve ter notado, o ClubHouse é mais um excelente canal para criar comunidades e estar mais próximo das pessoas. Isso porque, o aplicativo permite uma conversa dinâmica e diferente do formato de live que ficou muito saturado durante a pandemia. 

Criar salas exclusivas para conversar e interagir com a sua comunidade, pode ser uma excelente estratégia. Além disso, você pode criar salas públicas para tentar atrair pessoas novas para fazerem parte da sua comunidade. 

É importante ressaltar que mesmo sendo uma rede social bem promissora, ela ainda está em fase de testes e por isso é muito restritiva. Sendo assim, é importante que você tenha outros canais de interação com o seu público para não deixar ninguém de fora. 

Como monetizar a comunidade do clubhouse?

Se você é produtor ou produtora de conteúdo e quer saber se existe uma forma de monetizar o conteúdo no ClubHouse, saiba que ainda não é possível fazer isso dentro da plataforma. Mas existem outras maneiras de monetizar o seu conteúdo usando o ClubHouse como um canal de atração. 

Como falamos no tópico acima, você pode usar as salas públicas do ClubHouse para criar salas para debater assuntos relevantes para o seu nicho com pessoas referências da área. E depois você pode convidar as pessoas para fazerem parte do seu grupo vip no Telegram, por exemplo. 

O Telegram possui mais recursos que o ClubHouse como: a possibilidade de envio de mensagens de texto, fotos, enquetes, e também conferências de áudio. Além disso, o Telegram pode ser monetizado de forma automatizada com a LastLink. Quer saber como? Clique aqui e conheça a nossa solução.  

Separamos esses posts para você

como-funciona-o-telegram

Como funciona o Telegram

Hoje em dia, com a popularização dos smartphones, é praticamente impossível encontrar alguém que não tenha algum aplicativo de mensagens instalado. O

Crie sua comunidade e comece a monetizar seu conteúdo!