Como rentabilizar conteúdo na internet.

Escrito por Lastlink

Escrito por Lastlink

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Produção de conteúdo é uma profissão que ficou muito famosa nos últimos anos. Porém, muita gente se pergunta como pode ganhar dinheiro com as redes sociais produzindo conteúdo para a internet. Se esse for o seu caso, então fica aqui com a gente. Pois, nesse artigo vamos falar diversas maneiras de monetizar a produção de conteúdo e como você pode lucrar nesse mercado da internet. Vamos lá? 

Venda de espaços publicitários no seu blog

Provavelmente você já entrou em algum blog que exibia anúncios. Esses anúncios são pequenos espaços do seu blog que você vende para que empresas veiculem produtos e recebe um valor em troca disso. Para esse tipo de ação, você precisa de um tráfego de pessoas constante. Não adianta ter muitas visitas em um mês e nenhuma no outro. Consistência é muito importante para monetizar um blog. 

Marketing de afiliados

O marketing de afiliados ficou bem conhecido nos últimos meses, mas já é uma profissão que existe a bastante tempo. Ele consiste na pessoa contratada (afiliado) divulgar o produto de uma empresa, e em troca receber uma comissão se vender o produto pelo link pessoal dela. 

Além disso, um dos benefícios do marketing de afiliados, é que você pode vender o produto em qualquer plataforma que você tenha! Se você tem um blog pode vender por lá, se tem um Instagram forte pode falar nos stories sobre o produto que está vendendo, se tem uma lista de e-mails pode fazer e-mail marketing disponibilizando o seu link pessoal de compra, enfim, as possibilidades são bem amplas para esse mercado. 

Venda de infoprodutos

Se o marketing de afiliados é um mercado amplo, a venda de infoprodutos é um mercado ainda maior. Infoproduto é um produto digital que pode ser vendido ou disponibilizado gratuitamente para download. Existem diversos formatos, como e-books, cursos, mentorias e muito mais. Vamos conhecer um pouco sobre os formatos mais famosos e como você pode monetizar o seu próprio infoproduto. 

E-books

E-books são livros digitais e de todos os infoprodutos é o formato mais comum no mercado, já que, apesar de demandar bastante esforço para ser feito, devido à pesquisa e o tempo para escrever, são os mais simples de serem distribuídos e consumidos por quem se interessa pelo assunto que o e-book trata.

Para monetizar o seu e-book são necessários apenas alguns passos simples:

  1. Escolha qual será o tema do seu e-book.
  2. Pesquise amplamente sobre o assunto e faça um planejamento para escrevê-lo.
  3. Quando estiver pronto, defina um preço para comercializá-lo. Não se esqueça de analisar ebooks com temas similares para verificar se o seu preço está de acordo com o mercado. 
  4. Escolha uma plataforma para distribuí-lo. As mais comuns são a Hotmart, a Monetizze e a Eduzz. 
  5. Invista na divulgação! Quanto mais pessoas souberem da existência do seu e-book mais pessoas poderão comprá-lo. 

Cursos online e videoaulas

Você já deve ter visto pessoas que são consideradas autoridades em algum assunto no instagram, divulgando algum curso que elas têm. Esse tipo de infoproduto é mais comum justamente em meios nos quais a pessoa que vende o curso já é conhecida e respeitada dentro daquele nicho. 

Sendo considerado um conhecedor de algum assunto por uma grande maioria, é possível criar algum curso sobre o assunto e oferecer para que as pessoas comprem. Nesse caso, novamente é importante escolher em qual plataforma irá fazer a veiculação e investir bastante na divulgação do seu curso. 

Mentorias

Também é um infoproduto que para fazer sucesso na hora de vender, precisa ser feito por alguém que já é considerado autoridade sobre algum assunto. É bem parecido com os cursos online. Porém, a grande diferença é que enquanto um curso online tem nenhum ou quase nenhum contato próximo com a pessoa que o produziu, as mentorias são espaços nos quais você fica em contato direto com aquela pessoa por meio de videochamadas, grupos no telegram e alguns até disponibilizam o WhatsApp.

Obviamente, devido ao contato mais direto, as mentorias são mais caras do que os cursos online e costumam ter uma quantidade muito menor de vagas disponíveis. 

Programa de assinaturas

Cada plataforma de rede social tem diversas funções que podem ser usadas como programa de assinatura. Vamos conhecer algumas delas? 

Instagram

Você já ouviu falar de Close Friends ou Melhores Amigos? O “melhores amigos” foi uma função que o instagram criou no qual os seus stories aparecem apenas para as pessoas que estão incluídas em uma lista que você faz. Porém, alguns criadores de conteúdo acharam uma maneira muito interessante de monetizar essa função. 

Vamos usar de exemplo um influencer que fale sobre marketing digital no instagram. Ele poderia monetizar o seu close friends falando conteúdos exclusivos e mais qualificados sobre o assunto, apenas para quem assinasse essa função. Então quem o seguisse no instagram normalmente, iria acessar os conteúdos que ele produz diariamente e que são abertos para todo mundo. Porém, quem assinasse o close friends, ia ter direito a assistir conteúdos privados que ele postaria apenas para quem faz parte dessa lista. 

Essa é uma maneira super interessante de monetizar essa função já que pode ser feita em qualquer nicho! Você pode mostrar bastidores da sua rotina, falar sobre conteúdos mais avançados, e dividir com os seus seguidores tudo que eles quiserem ouvir. 

YouTube

Além da maneira regular de ganhar dinheiro com o YouTube — que vamos falar em breve — , existe uma maneira muito interessante de monetizar o seu canal que é com a função “ser um membro”. 

Um criador de conteúdo pode ativar a função “assinaturas” do seu canal e então permitir que pessoas por meio de pagamentos mensais recorrentes, tenham acessos a selos e emojis públicos e benefícios que o criador de conteúdo pode oferecer, como vídeos exclusivos e participações em gincanas para ganhar prêmios. 

Além disso, também é possível adicionar níveis e cobrar mais caro por eles. Porém, é importante frisar que para cobrar mais caro por cada nível, é necessário que haja a adição de algum benefício para se justificar o aumento do preço. 

PS: Para ter essa função ativada o canal precisa ter pelo menos 100.000 inscritos e ser considerado um canal qualificado. 

Redes Sociais

Falamos aqui de programas de assinaturas que envolvem as redes sociais mais comuns. Porém, existem outras maneiras de monetizar a produção de conteúdo nessas plataformas. Vamos conhecer algumas? 

Instagram

Outra maneira de monetizar a produção de conteúdo no instagram é por meio de publiposts e parcerias. 

Parcerias: Parcerias são um acordo que um influencer faz com uma empresa no qual ele divulga o produto daquela empresa e em troca ganha alguma coisa. Parcerias não necessariamente tem que envolver pagamento em dinheiro. Uma empresa pode fechar uma parceria no qual o produtor de conteúdo divulga os produtos daquela marca, e em troca ganha aqueles produtos de graça todos os meses, por exemplo. 

Geralmente esse tipo de acordo só é feito quando o influencer acredita na proposta da empresa ou realmente gosta dos produtos e aceita fazer essa troca. 

Publiposts: Os publiposts tem basicamente a mesma ideia. A diferença é que enquanto as parcerias têm maior flexibilidade, como dissemos não necessariamente envolvem dinheiro e podem ser feitas sem muita ênfase, os publiposts geralmente são posts no feed no qual o produtor de conteúdo fala sobre o produto da empresa e geralmente é fechado por algum preço x em dinheiro. 

YouTube

O YouTube é uma ferramenta que permite variações maiores de monetização. Algumas delas são: 

Receita de publicidade: O produtor de conteúdo recebe dinheiro pela veiculação de anúncios no vídeo. 

Estante de produtos do canal: Um canal pode produzir itens e vendê-los para os seus inscritos. Essa “estante” é uma barra que fica embaixo de qualquer vídeo exibido mostrando os produtos, os preços e oferecendo a opção de comprá-los. Por exemplo, um canal que tem blusas, pode mostrá-las nessa “estante” e oferecer para que os seus inscritos comprem. 

Receita do YouTube Premium: Recentemente o YouTube lançou o “ YouTube Premium”, um programa de assinaturas no qual você assiste os vídeos sem anúncios, consegue fazer download deles e deixar o vídeo em segundo plano enquanto abre outro app. Quando uma pessoa que tem “YouTube Premium” assiste os vídeos de algum produtor de conteúdo, ele recebe parte da taxa de assinatura deste usuário.

Conclusão 

Como você pode ver existem diversas maneiras de monetizar a criação de conteúdo. O mais importante para que essa monetização seja bem sucedida é produzir conteúdo de qualidade e conquistar uma audiência qualificada que te considera uma autoridade no seu nicho e que pagaria pelos seus conteúdos e informações exclusivas. 

Agora basta se organizar! Seja estratégico e analise quais conteúdos geram maior engajamento para você em cada plataforma e monetize-os! Lembre-se que cada produtor de conteúdo tem um público e um jeito diferente de atuar, então o que funciona para um pode não necessariamente funcionar para o outro. Aprenda com os seus concorrentes, veja o que eles fazem, mas acima disso tudo você deve experimentar e ver o que melhor se encaixa para você e para o seu público. 

Separamos esses posts para você

como-funciona-o-telegram

Como funciona o Telegram

Hoje em dia, com a popularização dos smartphones, é praticamente impossível encontrar alguém que não tenha algum aplicativo de mensagens instalado. O

Crie sua comunidade e comece a monetizar seu conteúdo!