Como monetizar o Youtube

Escrito por Lastlink

Escrito por Lastlink

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Quer saber como se monetizar usando o YouTube? O maior site de vídeos do mundo tem servido para dar novos rumos a vida de muitos criadores de conteúdos. 

Neste artigo, vamos te ajudar a entender como você e/ou seu negócio podem se beneficiar desse valioso e cada vez mais popular veículo de comunicação.

Mas, antes, vamos entender como funciona o YouTube.

Quando surgiu o YouTube

Fundado por Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim, três ex-funcionários da empresa californiana de pagamentos PayPal, o YouTube foi registrado no dia 14 de fevereiro de 2005.

O site revolucionou a internet por facilitar a publicação e compartilhamentos de vídeos. 

A rápida expansão do YouTube criou o interesse da gigante Google, que certamente viu no serviço uma chance de expandir seu alcance no ramo da publicidade de vídeos por meio do seu AdSense.

Assim, em 9 de outubro de 2006, foi anunciada a aquisição do YT pelo Google, pelo valor de 1,65 bilhão de dólares em ações.

Isso fez com que o Google encerrasse as atividades do seu próprio serviço semelhante: o Google Video.

Com 15 anos de atividades, completados em 2020, o YouTube possui mais de dois bilhões de usuários mensais, de todo o mundo, os quais publicam 500 horas de vídeo por minuto no canal. 

Depois dos Estados Unidos, o Brasil é a nação onde há maior visualização de vídeos on-line. Em 2019, o país registrava cerca de 310 mil canais no YouTube. 

Nele é possível encontrar canais especializados nos mais diversos assuntos: música, games, cinema, finanças, política, religião, esportes, empreendedorismo e, claro, marketing digital.

Conheça as principais categorias de conteúdos oferecidos pelo YouTube:

  • Animais
  • Automóveis e veículos
  • Ciência e tecnologia
  • Comédia
  • Culinária
  • Educação
  • Entretenimento
  • Esportes
  • Filmes e animação
  • Games
  • Instruções e estilo
  • Moda e beleza
  • Música
  • Notícias e política
  • Pessoas e blogs
  • Sem fins lucrativos e ativismo
  • Viagens e eventos

É preciso dedicação e entusiasmo para conseguir monetizar o YouTube

O caminho para conseguir monetizar o YouTube vai exigir de você dedicação e entusiasmo pelo que faz. Sem isso, será difícil cativar o público e gerar uma audiência regular e crescente.

O nome do canal deve ser atrativo e, claro, deve ter ligação com o nicho ou mercado onde você atua. Se conseguir achar um nome que seja curto e direto, melhor ainda. 

Vale dar uma pesquisada no próprio YouTube e no Google para saber que o título já foi escolhido por outra pessoa ou marca.

A qualidade do conteúdo e da forma que ele é apresentado é bem importante. Periodicidade e divulgação constante também.

Divulgue seu canal nas suas redes sociais, grupos de WhatsApp e Telegram. Interaja com as pessoas, comente em outros perfis, responda a quem comentar no seu. Procure ser sempre simpático e atencioso.

Toda vez que postar um novo vídeo, comunique a seus seguidores, solicite que interajam. 

Como se cadastrar no YouTube

Bem, antes de tudo, é preciso que você possua uma conta do Google para se cadastrar no YouTube. Aliás, essa conta também serve para realizar login em todos os outros serviços do Google, a exemplo do Blogger, Maps, Gmail etc. No YouTube, inclua o e-mail e a senha da sua conta para se logar. 

É bom se ligar que, caso você exclua sua conta do Google, todos os seus dados, comentários, inscrições e vídeos serão removidos do YouTube. 

Ao se logar no YouTube, o Google irá fornecer acesso recursos do como marcar vídeos com “Gostei”; salvar nos favoritos; inscrever-se em canais; acesso ao histórico de exibição.

Como já é comum em praticamente todas as plataformas digitais, o YouTube irá personalizar recomendações de conteúdo baseado nos vídeos que você assistiu e curtiu. Além das inscrições que você realizar em outros canais.

Para criar seu próprio canal e começar a publicar vídeos, siga os seguintes passos.

  • Acesse o YouTube;
  • No canto superior direito, clique em “Fazer Login”;
  • Depois selecione o “Criar uma conta”;
  • Em seguida, indique se a conta é para você, pessoal, ou para uma empresa;
  • Por fim, siga os passos informados pelo próprio YouTube.

Faturando a partir do YouTube: regras e condições

Há diversas formas de ganhar dinheiro no YouTube. A mais comum é a monetização automática: quando você recebe valores correspondentes a visualizações de seus vídeos.

Isso é possível devido ao Programa de Parcerias do  YouTube (PPY), que remunera os criadores de conteúdo de acordo com o número de cliques nos vídeos.

Infelizmente, ao contrário de alguns anos atrás, você não consegue mais monetizar seus vídeos logo de cara. É preciso seguir um conjunto de exigências estabelecidas pelo YouTube. Saiba quais são as principais:

  • Morar em uma região ou país onde o Programa de Parcerias do  YouTube esteja disponível (o Brasil é um exemplo);
  • Ter um canal com, pelo menos, 4 mil horas de conteúdo visto nos últimos 12 meses (no caso, as horas de exibição de vídeos definidos como públicos);
  • Possuir no mínimo mil inscritos;
  • O canal não pode conter avisos das diretrizes da comunidade: ao se inscrever, o canal terá que passar por uma análise padrão, a fim de garantir que ele atende às políticas e diretrizes do YouTube. Saiba mais aqui;
  • O canal precisa possuir conta no Google Adsense e conectá-la a ele.

O que não conta como horas de conteúdo visto no YouTube

É bom ter em mente que o YouTube não computa todas as horas de exibição. Há algumas exceções. A seguir, saiba quais são os tipos de vídeos que o PPY não leva em conta para seus requisitos: 

  • Vídeos excluídos;
  • Vídeos não listados;
  • Vídeos privados;
  • Vídeos de campanhas publicitárias;
  • Vídeos publicados nas áreas “Shorts” e “Histórias” (Stories);
  • As transmissões ao vivo não convertidas em vídeo on demand (VOD).

Como monetizar seu canal no YouTube por meio de assinaturas 

O YouTube oferece aos criadores de conteúdo a organização de um clube de membros, com assinatura mensal, benefícios exclusivos e recompensas para seguidores ou fãs que queiram pagar. Os valores são determinados pelo criador do canal.

Os membros vips possuem acesso a lives secretas, postagens exclusivas, conversas diretas com os donos do canal ou convidados destes e selos personalizados.

Entretanto, para ter direito a esse benefício, o criador de conteúdo precisa atingir a marca de 30 mil inscritos em seu canal.

Ainda não tenho 30 mil inscritos! E agora?

Para começar, vamos aos fatos:

Se você está começando agora a produção de vídeos para o YouTube, deve saber que a jornada até começar a faturar diretamente com a plataforma é longa. Existem uma série de desafios para que o criador de conteúdo cresça sua base, engaje sua audiência e consiga novos assinantes e views. 

Muitos criadores hoje buscam outras plataformas para criarem comunidades fortes em paralelo aos canais. Esse formato permite que eles já comecem a monetizar muito antes vendendo acesso para área de membros e canais fechados com conteúdos exclusivos.

Como criar áreas de membros e canais exclusivos?

É muito simples. Você pode criar esses espaços em outra rede social em paralelo ao seu canal e monetizá-lo com a Lastlink. Esses espaços podem estar dentro do Instagram (perfil fechado), Close Friends, WhatsApp ou Telegram. Se preferir, pode usar uma a plataforma da Lastlink para criar uma área de membros exclusiva. Assim, você pode postar vídeos, fotos e textos para seus assinantes.

INCLUIR BANNER PARA GUIA DE BOAS PRÁTICAS

Como monetizar o YouTube por meio de anúncios automáticos

Ao se tornar apto a ser monetizado, os vídeos do seu canal começarão a exibir anúncios durante a exibição, antes, durante e ao fim da veiculação do conteúdo.

O pagamento vai variar de acordo com as formas pelas quais sua audiência, seus usuários interagem com as propagandas.

Quanto mais tempo o internauta passar assistindo ao anúncio, mais você ganha. Se além disso ele também clicar na propaganda, maior será o valor que você vai receber.

Tipos de anúncios do YouTube

Geralmente os anunciantes indicam os perfis de canais nos quais desejam expor seus anúncios. É como se o YouTube funcionasse como um intermediário entre você, criador de conteúdo, e o anunciante. 

Conheça os principais modelos de anúncio do YouTube:

Anúncio gráfico: aparece na lateral do vídeo e não está disponível em todos os computadores;

Anúncio de vídeo ignorável ou “pulável”: nesse caso, ele pode surgir antes, durante ou no encerramento dos vídeos, com a opção de o internauta poder pular sua exibição, após cinco segundos;

Anúncio não ignorável: ele dura até 30 segundos e não pode ser descartado ou “pulado” por quem assiste o vídeo;

Anúncio de sobreposição: neste modelo que só está disponível para computadores, os banners surgem sobre os vídeos.

Como monetizar o YouTube instalando uma estante de produtos

O seu canal pode abrigar uma lojinha virtual. Nela, você pode disponibilizar links de venda de produtos. Observe que em páginas de bandas e artistas com muitos seguidores, logo embaixo do vídeo, há uma seção randômica com material de merchandising (camisetas, CDs e DVDs, por exemplo).

Para se cadastrar nessa categoria, é preciso contar com, pelo menos, 10 mil inscritos no canal. Caso seu canal já tenha atingido esse número, basta se logar no YouTube Studio, selecionar a opção “Geração de receita” e adicionar os produtos.

Como monetizar o YouTube usando o Super Chat e o Super Stickers

Por meio do Programa de Parcerias do YouTube, você pode gerar receita para seu canal com o Super Chat e os Super Stickers.

Com essas ferramentas, os seus seguidores podem pagar por mensagens de chat para que elas fiquem em destaque. Elas podem ser fixadas na parte de cima do feed da conversa. 

Durante a realização de lives, shows ou outros eventos, quem contribuiu ganha prioridade para ter suas perguntas ou recados lidos naquele momento.

O Super Chat e os Super Stickers têm gerado mais uma boa fonte de recursos para bandas, artistas, comediantes, gamers, criadores de conteúdo e outras pessoas que realizam lives no YouTube.

Para ativar o Super Chat ou o Super Stickers no YouTube

Realize o login no studio.youtube.com;

À esquerda do menu clique em Monetização;

No painel principal, na sua parte superior, clique em Supers e Primeiros passos e siga as instruções que vão aparecer na tela;

Após encerrar essas etapas, duas opções serão exibidas para você:

“O Super Chat está ativado” – junto de um botão azul de ativação/desativação.

“Os Super Stickers estão ativados” – junto de um botão de ativação/desativação.

Como desativar o Super Chat ou o Super Stickers no YouTube

Realize o login no studio.youtube.com;

À esquerda do menu clique em Monetização;

No menu da parte superior do painel principal, clique em Supers;

Escolha uma das opções a seguir ou ambas:

Acione o botão de ativação/desativação ao lado de “O Super Chat está ativado.”

Clique na chave ao lado de “Os Super Stickers estão ativados.”

No pop-up, clique na caixa de seleção ao lado de “Entendo as consequências desta ação” e Desativar.

Como monetizar seus vídeos por meio do YouTube Premium

Essa forma de remuneração é semelhante à dinâmica de funcionamento de serviços de veiculação de músicas e podcasts como o Deezer e o Spotify.

O criador de conteúdo recebe uma parte da receita gerada quando os assinantes do YouTube Premium assistem a vídeos produzidos por ele.

Esses assinantes possuem diversas vantagens em relação aos usuários comuns como o direito de ver vídeos, filmes, séries e documentários sem anúncios, baixar conteúdos para assistir offline.

Também têm direito à exibição em segundo plano de conteúdos. Ou seja, você pode ouvir uma música, entrevista, palestra etc., enquanto se utiliza de outros recursos do seu smartphone.

É um recurso interessante para quem gosta de “ouvir os vídeos” do YouTube. Muita gente hoje em dia tem esse costume. Não é à toa que a plataforma tem abrigado diversos podcasts de entrevistas. 

Como monetizar o YouTube por meio de podcasts 

Do seu surgimento, em meados dos anos 2000 para os dias atuais, o podcast tem se tornado cada vez mais popular no Brasil. De acordo com estudo feito pela Globo junto com a empresa Kantar Ibope, o número de ouvintes regulares de podcasts aumentou 33%. 

Atualmente, cerca de 28 milhões de pessoas no Brasil, maiores de 16 anos, costumam se informar e se divertir por meio de podcasts.

De acordo com a pesquisa:

  • 53% dos entrevistados possuem até 34 anos;
  • 51% dos seguidores de podcasts estão na classe C;
  • 36% dos ouvintes pertencem às classes A e B;
  • 46% dos ouvintes regulares de podcasts se encontram no Sudeste, 26% no Nordeste, 15% no Norte e Centro-Oeste e 13% na região Sul.

Como se vê, os podcasts são um grande filão para criadores de conteúdo atualmente. E você pode ter como base para a produção do seu justamente o YouTube.

Como criar um podcast e publicá-lo no YouTube?

Em primeiro lugar, você precisa definir em qual nicho vai atuar e se esforçar sempre para entregar conteúdos bem feitos, tanto no conteúdo quanto na forma.

Também existe a opção de ser um “generalista”. Ou seja, alguém que fala e entrevista pessoas para tratar de diversos assuntos. É um formato que tem alguns casos de sucesso no YouTube, como é o caso do canal Flow Podcast

Entretanto, esse é um caminho um tanto quanto arriscado pois vai depender muito da identificação do público com o ou os apresentadores.

O mais indicado é mesmo focar, inicialmente, na área em que você ou sua empresa já atua.

Ainda assim é bom você realizar uma pesquisa em plataformas que agregam podcasts como o Spotify e o próprio YouTube para ter uma ideia do que outros criadores de conteúdo estão falando e produzindo sobre temas do seu nicho de atuação.

Ainda que essas produções se refiram a sua área, você pode ter insights de como abordar o assunto de maneira diferenciada e singular. Afinal, cada pessoa é única.

Como definir o formato do seu podcast do YouTube

Após definir o nicho em que você vai atuar, você deve pensar nos formatos que pode adotar para produzir seu podcast.

Há diversas formas e é possível até variar os formatos utilizados para produzir um podcast. Ele pode ser individual, apenas com você falando, com uma ou mais pessoas como participantes fixas ao seu lado.

No YouTube, o formato que mais vem sendo usado é o de entrevistas. Mas num modelo que lembra uma conversa de bar, descontraída. 

As durações desses bate papos podem durar de uma a várias horas. Os canais aproveitam trechos dessas longas conversas e os republicam como “cortes do podcast X”.

Isso é uma excelente forma de alimentar o canal com mais conteúdo, e contar mais visualizações, e atrair a atenção de não assinantes.

A periodicidade é um item super importante. As postagens podem ser diárias e semanais. Se você passar tempo que isso sem postar pode não gerar muito engajamento e não criar uma audiência robusta.

Como gravar seu podcast e publicá-lo no YouTube

Se você quer seguir o modelo de podcast em vídeo (com aproveitamento do áudio), o ideal realmente é gravar e editar os programas em um estúdio profissional. 

No entanto, gravações feitas apenas em áudio também podem ser publicadas no YouTube. Nesse caso, dá pra gravar usando apenas seu celular.

Serviços como a Anchor e o Spreaker oferecem ferramentas com as quais você pode produzir programas apenas usando o smartphone.

É possível inclusive criar aberturas, incluir vinhetas de transição, gravar com uma ou mais pessoas remotamente, fazer lives (neste caso, no Spreaker Studio).

Como monetizar seu podcast?

A PodPequisa 2019 indica que ouvintes regulares de podcasts se mostram abertos a pagar por produtos e serviços anunciados nessas mídias.

A versão paga do Spreaker permite a publicação automática de propagandas em episódios do podcast quando ele vai ao ar. 

A plataforma Orelo oferece aos criadores de conteúdo remunerações baseadas no número de reproduções dos seus podcasts no aplicativo. 

Você pode, ainda, criar um grupo privado no Telegram apenas para os fãs do seu podcast e alimentar esse canal com trechos exclusivos de entrevista, ou até mesmo “continuar” a entrevista em tempo real através do app de mensagens. E na hora de monetizar, a  Lastlink conta com um bot exclusivo que administra os assinantes para você. 

Veja aqui todas as dicas que reunimos sobre como lucrar com assinaturas de Telegram!

Organize financiamentos coletivos para monetizar seu podcast e canal no YouTube

Muitos podcasts e canais do YouTube têm recorrido a financiamentos coletivos (crowdfunding) para se monetizar. 

Você pode criar campanhas baseadas em metas únicas ou com assinaturas periódicas (mensais, semestrais, anuais).

É possível divulgar na descrição dos vídeos e dos canais o link da sua comunidade administrada pela Lastlink, deixando claro a variedade de assinaturas possíveis:  trimestrais, semestrais e anuais. As assinaturas anuais, inclusive, podem ser parceladas em até 12x no cartão de crédito via Lastlink, sem juros para o assinante ou o criador. 

Como monetizar o YouTube usando o marketing de afiliação

Na descrição dos seus vídeos publicados no YouTube você pode deixar links de venda de produtos e serviços de sites que oferecem programa de afiliação.

Para isso, é preciso se inscrever em algum site que ofereça esse serviço. É o caso da Hotmart, Amazon Associados, Monetizze, entre outros.

Quando o internauta realiza uma compra por meio do link fornecido pelo serviço de afiliação, você recebe uma porcentagem sobre o valor da venda. 

Como monetizar o YouTube com publicidade patrocinada

Esse formato funciona ao estilo da publicidade veiculada em programas de TV. 

Você fecha com uma ou mais empresas a inserção da marca no vídeo, exibição ou anúncio verbal de produtos e serviços.

Se seu canal já possuir uma audiência considerável, esse acordo será bastante facilitado.

Ainda assim, caso seu conteúdo seja bastante relevante e atrativo, existe a possibilidade de iniciar do zero já com alguma marca ou empresa que queira apostar no seu trabalho.

Aproveite o sucesso do seu YouTube e monetize em outros canais

Com a Lastlink você, criador de conteúdo, pode se conectar e se aproximar ainda mais dos seus seguidores e público alvo.

A ferramenta facilita a venda de conteúdos exclusivos e realiza o gerenciamento dos seus seguidores e clientes de forma automática.

O Gestor de Assinaturas da Lastlink te ajuda a:

  • Adicionar e remover automaticamente usuários do seu canal exclusivo;
  • Realizar a cobrança recorrente da assinatura configurada;
  • Apresentar o status de cada pagamento para você acompanhar compras concluídas, pendentes ou em andamento.

A Lastlink oferece uma página exclusiva e otimizada para conversão onde as pessoas interessadas em receber os seus conteúdos exclusivos podem realizar a assinatura.

É possível reunir todos os seguidores presentes que acompanham os seus conteúdos, integrando suas redes sociais a uma plataforma inteligente que gerencia recebimentos automaticamente.

Os membros podem compartilhar conteúdos com grupos de seguidores e serem remunerados por meio de assinaturas mensais, trimestrais ou anuais. 

Dessa forma, é possível focar mais na criação, deixando a gestão da página e dos membros por conta da Lastlink.

Configure aqui sua conta na plataforma Lastlink gratuitamente!

Lastlink Feed: mais uma plataforma para você ganhar dinheiro

Com a plataforma Lastlink Feed você pode criar e publicar seus conteúdos online, oferecendo uma experiência imersiva para seus seguidores e assinantes.

Na Lastlink Feed, o criador de conteúdo tem espaço para publicação de fotos e vídeos a partir do computador, usando algum link existente, procurando na web ou se conectando ao Facebook, Instagram ou Google Drive.  

Nas descrições você pode incluir links, que ajudam a trazer referências externas para a sua audiência ou, até mesmo, outros tipos de formato que estejam hospedados em nuvem (e que tenham uma URL própria de compartilhamento).

Como começar a utilizar a Lastlink Feed?

Ao se cadastrar pela primeira vez na Lastlink, a opção “Lastlink Feed” é escolhida automaticamente caso você não escolha nenhuma outra plataforma nas demais opções. 

Para quem já utiliza a Lastlink para algum outro canal, basta fazer o seu login e clicar no menu “Comunidades”. 

Nessa página, você encontrará um card com as principais informações da sua comunidade. Você notará que, à direita dele, há um botão com o texto “criar publicação”. 

Divulgue seu YouTube na Lastlink Bio

Você criou um canal no YT e uma comunidade para assinantes. Qual o próximo passo? A gente tem uma ideia:

Que tal criar um site pessoal que pode ser acessado facilmente dos celulares, com integração para todas as suas plataformas? A Lastlink Bio pode te ajudar. 

Com Lastlink Bio, você também pode escolher um dos templates especiais para divulgar o seu canal do Youtube e aumentar as visualizações dos seus vídeos. Basta escolher o tema que mais te agradar, adicionar uma imagem, um link para um vídeo, uma breve descrição e o link do seu canal. Veja como fica:

Separamos esses posts para você

Crie sua comunidade e comece a monetizar seu conteúdo!